Posted in Uncategorized on abril 11, 2013 by meuparedro





Menina dos lábios doces, você errou comigo.
demoliu uma forma de amor que eu me batia para inventar.
Resolveu que conhecia meus limites;
que eu seria como todo o resto, uma opção no teu caminho.

Eu escrevi minhas feridas, me iludi tantas vezes.
Justifiquei cada silêncio com frases e biombos.
Ansiei por você, mas nunca te tive de verdade.
O palhaço se foi
entendido finalmente como é vazia
a condição do amante cativo.

Querida, fique então no seu mundo.
Tudo vai dar certo, tem quem cubra qualquer risco.
Menina dos lábios doces, já houve tristeza demais.
e nao preciso dizer como foi difícil
aprender a ficar quieto.




Posted in Uncategorized on março 5, 2013 by meuparedro




Vamos sair esta noite ?

Saímos para dar uma volta, está bem claro em seus olhos.
Você não está á vontade.

Esta voz na tua cabeça diz para ficar em casa
e encarar os demônios que te tiram a paz.
Histórias não resolvidas que você não entende como ainda existem.
Não é típico da noite querer virar tudo do avesso
quando estamos apenas tentando ficar quietos ?

O mais justo seria reduzirem sua pena por bom comportamento,
eu sei.
Mas não deixe isto te derrubar,
são apenas velhos castelos desmoronando.
Permita que os dias estrangulem cada fiapo desse fantasma
até que ele sôe absurdo.

Vai parar de doer.




Posted in as coisas on fevereiro 16, 2013 by meuparedro





Você dá um jeito de acreditar que está tudo bem
que não importa tanto
e você aguenta e vence outro dia
e vence outra noite
você vai e acredita e sim, está bem.
Quando você pára por um instante
e ás vezes as coisas se arrastam e não aparece saída
todo o seu mundo parece embaçado.
É tanta coisa querendo acontecer,
ainda que nunca seja reto ou fácil.
Existe um mistério em tudo o que existe
e está certo assim;
é na estranheza que
gestam-se os começos.





Posted in Uncategorized on novembro 20, 2012 by meuparedro





Não queira mal a quem te dói;
é se ferir de novo e de novo.
No mais das vezes, é alguém que faria apenas o possível.

Tanta gente chapinhando no fácil, celebrando o normal.
Vão á caça, como se houvesse sentido em vencer sozinho.
Brilham e destroem e pensa bem;
é bom não ser desse jeito.

Tenta relevar, todo mundo se abisma em algum momento.
A mágoa é desnecessária, os velhos hábitos
tentam cobri-la de nobreza.
É estúpido importar tanto; o que está perdido, já foi.
Encare a tristeza no olho,
faça com que ela se ocupe de alguma outra coisa.





Posted in Referências on outubro 30, 2012 by meuparedro





Poesia
é apenas a evidência
da vida.
Se sua vida
estiver ardendo
como deve ser,
a poesia
representa apenas as cinzas.

(Leonard Cohen)





Posted in as coisas on setembro 23, 2012 by meuparedro





Sim, você está certa.
Talvez não se lembre, mas a minha imagem favorita era
“nascer da cama e encontrar o sol”,
procurar sempre ajustar os controles para o
coração do sol (heart of the sun, heart of the sun.)
Agora percebo que a vida correu mais,
teve maior estabilidade nas curvas e me ultrapassou.
Os controles, estes estão virados para o coração das coisas.
Eu cresço da cama e mergulho no coração do dia.
Cada dia, um de cada vez, e não pode ser ruim
porque dentro do dia está o que eu tenho, o que me vale.
E é bom.
Mas tão longe do sol, tão planeta e pedra e coisa.
Cada dia dentro do Plano.
Que estranho viver no plano.





Posted in tempestade on setembro 11, 2012 by meuparedro


e então eu me apaixonei por ela
simples assim
sem mistério ou sofisticação
e simplesmente deixei escapar isto
que acontece nessa hora, que é doer
eu, paixão, ela
a reação foi péssima
entre dias confusos eu vi a mim mesmo desbotando
diante de seus olhos
diminuído
apaixonado
nunca tinha notado como simples pode dizer pequeno
bisonhice minha pensar que havia de ser filosófico
menos complicado significando mais bonito
na realidade bobo apenas
mas de alguma forma ainda éramos eu e ela
e assim vivemos todas as coisas que aconteceram depois
doendo
uma perda irreparável escondida embaixo de nossas coisas
eu dor e ela irritada
é necessário sobreviver e levei todo esse tempo me perguntando como
impossível existir isso que sou eu e apaixonado por uma impossibilidade
a solução, fabricar outra pessoa, não-simples, não-paixão
capaz de viver sem ela
é o que busco agora
triste, porque sei que vou ser pior
que a perda foi mesmo sem remédio
curiosa é a verdade que só agora sou capaz de perceber
as pessoas são assim
re-fabricadas, recicladas de si mesmas a cada derrota
cada vez piores
abstraindo maturidade experiência e palavras esparadrapos

para explicar o simples menos

o menos simples
a perda necessária dentro deste processo de seguir vivendo
que eu quis negar
talvez todo mundo tenha tentado alguma vez antes de desistir

e seguir adiante.