Lembro bem da tua voz
tão leve.
A harmonia do instante perfeito.
É outono e o idílio acabou.
Incapaz de desistir, me habituei a correr sozinho.
O capim cresce alto, a relva dourada ondula e sussurra.
O dia nasce como ferida que abre novamente.
Em silêncio, a criação parece espantada por ainda existir.
Como planta que jaz ao sol sem refresco,
eu me confundo com a paisagem e
perco o meu tempo.





Anúncios

Uma resposta to “”

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: