Finalmente tive a chance de andar por aí. Conhecer pessoas, viver histórias; usar um tanto o meu tempo. Permitindo a mim mesmo não pensar demais, não falar demais. Descobri que já não tenho aquela necessidade de me expressar. Hoje sou capaz de encarar com calma as coisas que não realizei. E tudo o que aconteceu, oportunidades, pequenas vitórias; meus caminhos tão embolados sobre si mesmos. Parece claro que o futuro não deve ser nada parecido com isto. Eu realmente não sei. E vê se não é estranho, aprendi a amar. Voei nas melhores alturas e estive a beira do precipício, todas essas coisas que só podemos sentir nestes momentos. Não sei se me arriscaria a tentar de novo agora. E se de repente eu paro e hesito em correr atrás dos velhos sonhos de infância, é por que simplesmente não é mais o mesmo mundo. Acho que já não sonho tanto, não daquela forma. Hoje eu sei o quanto dói construir ilusões e não me envergonho de passar uma tarde quieto no meu canto, deixando as coisas passarem.
Não me obrigue a reviver meus erros.
Eu ainda não os superei.




Anúncios

3 Respostas to “”

  1. eu quero aprender. a amar. a deixar as coisas passarem.

  2. Cada vez mais eu fico impressionada com sua delicadeza, cronópio. É como se você fosse o nêmesis da minha boca suja. Saudades. 🙂

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: