Você fala da montanha como se não soubesse.
Esses fantasmas flutuantes, espíritos do tempo; eu e você.
Ah os nossos duelos ao pôr do sol.
Quase uma história daquelas que são contadas ao redor da fogueira.
Iluminando o entardecer, minha perseverança e tua ironia,
ferro contra ferro.
Esgrimindo, ecoando entre os vales.
A derrota simplesmente nasceu; como a lua.
E assim eu catei minhas migalhas pelas noites desertas.
Aprendi que o passado pode ser um estranho.
Que nem toda história é eterna.
Que o sol só vai nascer quando a noite tiver terminado.





Anúncios

4 Respostas to “”

  1. antes da chuva Says:

    A poesia flui… aqui.

  2. De alguma mesa por aí
    eu vou te agradecer
    desses seus fios mais finos
    novelos da tua cor, fruta e dor
    dum já que podem
    que me podem e podem
    maturam à ferir minha boca
    numa
    muito menos
    que visão religiosa
    para fazer um bem
    bem mais que herético banquete
    não menos alinhado a minha quase caçarola;
    pálida quase experiência esplendorosa
    gorda
    pedir que já, que agora, que sim e sim
    lambendo os beiços
    me acudam colheres e potinhos
    da polpa e miolos da polpa
    desse besouro no meu pomo
    ou que então eu te agradeça
    um afago nas tuas letras
    essas letras que eu te como.

  3. adoro vir aqui e passear pelas tuas letras… bj grande :))

  4. poema lindo, gil. um jeito próprio e belo de dar adeus.
    uma vez você me escreveu algo sobre ser iluminar cansaços ser uma forma legítima de defesa/capacidade.
    seus poemas fazem isso muito bem.

    bjo,

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: