Há um lugar entre as dunas, bem longe daqui.
    Onde o horizonte tem curvas douradas de caramelo.
    É lá que nascem essas areias que viajam pelo mundo,
    mais antigas que números e horas e letras de fôrma.
    Uma vez eu fui capaz de queimar meus problemas ao sol,
    cristalizando desejos á beira do mar.
    Fora do gancho, longe da roda.
    Um sabor ligeiro de liberdade.
    Mas não era o momento, eu voltei para a cidade
    sem saber ainda o segredo
    de ser um vento,
    ser um sambaqui.
    Desde então meus olhos não evitam se perder na distância
    e eu tropeço nas calçadas deste tabuleiro
    onde alugo o meu tempo
    aprendendo, planejando os caminhos que levam ao sol
    e o silêncio de uma lembrança azul
    que está lá e faz parte de tudo
    o que ainda vai ser.




Anúncios

3 Respostas to “”

  1. Flávia Luiza Says:

    Adorei…Feriado inesquecível, sambaqui gigante, boa companhia, reflexões e certeza de que tudo vale a pena 😀

  2. eu gostaria de ir num lugar com dunas, dunas que quebrassem no mar, que quebrassem o mar, o mar dormindo na areia, assim assim.

  3. deixa o vento levar,
    bater no rosto, cortar as bochechas, abraçar as nuvens,
    deixa o vento cuidar da alma
    que o céu é a cama do mundo.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: