O Tempo
seus longos filamentos
povoando o horizonte
este grande mar revolto
que não pode ser vencido.

Lanternas
em meio ás quais eu mergulho de olhos abertos
esperando, como criança alucinada
que não se apaguem tão cedo.

Encruzilhadas
repletas destes pequenos seres
velozes, cheios de fúria
que se aproximam sorridentes
atrás de objetivos insondáveis
e de repente se vão
e submergem como sombras em um lago.

Madrugadas
com seus pequenos,
ridículos sonhos
que nunca levam a lugar algum.





Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: