Ah aquelas madrugadas de inverno. Éramos gigantes percorrendo os caminhos da cidade. Bêbados, mal-educados, livres; bebida barata contra o frio e nada no caminho. É preciso contar essas histórias. Gritar ao mundo o significado de cada momento, os dias épicos desse tempo que acaba se dissolvendo em brumas de calendário. Noites de ânsia e espera, amores instantâneos que vêm e vão. Do nada e para sempre. Episódios que voltam em sonhos e rostos e vontades quase sem sentido.
Eu quero contar as minhas histórias. Quero ser bobo, exagerado; imaturo.
Trazer de volta cada fantasma, retraçar cada descoberta.
Antes que a vida se torne fácil demais e eu me esqueça.
Antes que fique escuro.





Anúncios

Uma resposta to “”

  1. chaotic queen. Says:

    sabe, sempre quis alguém que segurasse minha mão
    antes que ficasse escuro.
    hoje, ele segura minha alma.

    é aquela paz que a gente nao descreve.
    a vida, a cidade, o frio… os anos voam por entre os dedos
    a gente fica. cada dia tudo muda um pouquinho
    vá viver antes que escureça.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: