Posted in Uncategorized on março 22, 2016 by meuparedro

 

Estou a ponto de desistir, querida.
Nesta cidade não há tempo para o amor.
Não tem ninguém vivendo aqui,
são só ruas cheias de gente.
E agora,
não é exatamente sofrimento.
É perda, mas não do jeito que costumava ser.
É que está frio demais aqui.
E os fogos que acendo,
as coisas que tento fazer,
não creio que estejam erradas.
É apenas muito tarde.

 

O desperdício é como tempestade, esta noite.

 

 

Publicado no Blog de Sete

Posted in Uncategorized on abril 4, 2015 by meuparedro


Presença sem contornos,
espécie de nuvem que eu ás vezes chamo esperança.

A vida não deixa de ser esse vaivém de medos e vontades.
Você procura por uma resposta aceitável
mas os problemas sempre te levam de volta.
No conforto do quarto, você não sente segurança.
Se envolve em vinho e calor, se engana até amanhã.
Acorda fora de hora e anseia por mais ar, é difícil respirar.
Os sonhos nunca são o que parecem.

A rotina nos mantém razoavelmente aquecidos.
Trancamos as portas, controlamos o espaço.
Mas hora ou outra, vai acontecer.
Os demônios não estão lá fora, eles sabem onde se esconder.

Saia para o sol, ainda vale a pena.
Deixe secar os medos, aprenda de novo a correr.
Sinta o calor em sua pele.
Viva, se prepare: as nuvens vão voltar sim.
Tempestades estão sempre perto,
encaramos cada uma do jeito que chegam.
Fogos de artifício e bombas incendiárias.
Todos temos cicatrizes que não dizem respeito a ninguém.
Ás vezes, é melhor ser valente.
Dói menos.
Temos todos que lutar, mil inimigos por dia.
Continuar sorrindo é tudo o que importa.


Posted in Uncategorized on julho 29, 2014 by meuparedro





noites em que nada sugere sentido
a cabeça vagabunda
maquinando as mais toscas complexidades
figurando o que torna as coisas assim
intransponíveis
um ou outro fiapo de memória
incorpóreo
modulado por referências proibidas
imagens queridas
amontoadas na margem da rotina
tesouros desfigurados
de um tempo
que escorregou.




Posted in Uncategorized on fevereiro 25, 2014 by meuparedro





Uma vontade,
essa idéia de sair e estar com você.
Dia após dia manejando a tristeza,
o nó na garganta.
Faz sentido precisar tanto desses momentos,
longe da balbúrdia das coisas ?
Você e eu, quietos aqui.
Passando o tempo, deixando estar.
Um dia tão quente, cheio de clamores.
O mundo correndo lancinante.
Você e eu,
você e eu e as árvores e o vento
Lá fora tudo passando.




Posted in Uncategorized on novembro 25, 2013 by meuparedro





Clarões dominam o horizonte.
A grande visão atmosférica
e o espectro ainda mais antigo
da confusão do universo.

Sensação metálica de grandes criaturas
espiralando entre o céu e a terra.
O espalhamento de vidas,
grãos de poeira nos ventiladores do tempo.

O chão estremece,
gemidos subsônicos nas entranhas do planeta.
Infinitas pequenas vozes
murmurando inquietações primordiais.
Fantasmas, poderosas formações de caos
na neblina da manhã.




Posted in Uncategorized on setembro 5, 2013 by meuparedro





Cheguei a acreditar que tudo ficaria bem e naquele momento, parecia mesmo que sim. Não podia ser tão diferente daquilo. Os instantes se apresentavam e tinham seu brilho e seguir com eles era a maneira mais legal de estar.

Mas faltava algo, eu tinha me acostumado a ser o cara do lado de fora, olhando para dentro. É estranho viver sem certezas. Postado no primeiro degrau, procurando pela chave de alguma coisa mais. Um medo frio soprando, aquela dúvida pairando sobre. Por isso, eu simplesmente parei.

Era o momento de perguntar, podemos tentar não exagerar nisto?
Eu sabia que era grande, tínhamos história, que a verdade era tanta. Mas não estava certo, não conseguia enxergar como antes. Queria fingir que era fácil, que estávamos passando por cima.

Mas é sempre inútil montar esse tipo de guerra verbal, palavras-trincheiras e frases explosivas. Você dizia que eu estava longe, congelado em minhas memórias. É que alguma coisa em mim tinha quebrado há muito tempo e eu não sabia explicar. Os pedaços irrompiam nas horas mais absurdas. Eu tinha perdido o prumo e não queria mesmo falar. Não estava pronto para ser o cara do lado de dentro, olhando para fora.

Memórias que escapavam como tardes de domingo.
Instantes vagueando pela sala em pontos brilhantes.
Imagens que espreitava com mil e oitocentos olhos, mas não conseguia apreender.
Nomes sussurrados, antigos como o amor.
O meu mundo inteiro etéreo, irreal.
Era tudo tão hipótese, ainda.



Posted in Uncategorized on junho 16, 2013 by meuparedro





Lua alta e céu profundo;
A beleza pálida deste momento
em que nada precisa ser o que parece.

Permanece o seu poder sobre mim,
capaz de manter faminta a minha sombra.
Mas já não nos encontraremos,
é preciso seguir adiante.

Necessário conquistar uma vida,
sufocar toda essa pêna.
Dar novos nomes às coisas,
desafiar a noite com laivos de luz.